segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Santo é um pecador que nunca desiste

Texto retirado do site pantokrator.org.br
Depois de ter meditado em uma passagem do Evangelho, comecei a pensar na santidade e no segredo para alcançá-la. Como posso ser santo com tantos pecados?
Primeira coisa: é bom lembrar, que santidade não significa perfeição, pois isso é um atributo somente de Deus, embora precisamos buscá-la, mas com o intuito de amar mais a Deus e o próximo, reconhecendo nossas misérias e total impotência.
Santidade é antes de tudo uma busca constante pela fidelidade a Deus. É um desejo de amar a Deus com todo o nosso coração e ao próximo como a nós mesmos. É não desistir nas quedas, mas persistir acreditando sempre na misericórdia de Deus que está sempre disposto a nos perdoar.
Jesus disse: “Nada há fora do homem que entrando nele, o possa manchar; mas é o que sai do homem, isso é o que mancha o homem”. (Mc 7, 15). Ele vai nos dizer que é do coração do homem que saem todos os maus pensamentos e pecados: devassidões, roubos, assassinatos, adultério, cobiças, perversidades, fraudes, desonestidade, inveja, difamação, orgulho e insensatez. (Mc 7, 21-23).
O que me chama atenção é que Jesus coloca todos os pecados num mesmo nível. Talvez não temos o pecado do adultério, mas temos o pecado da inveja; talvez não temos o pecado do roubo, mas temos da desonestidade; talvez não temos o pecado da difamação, mas temos o pecado do orgulho que é o maior de todos.
A raiz de nossos pecados está no coração. Se pedirmos a Deus que ele mude e cure o nosso coração nós seremos santos, pois santidade é uma graça de Deus. Jesus pode transformar nosso coração em amor. Peçamos a Ele esta graça pra que possamos assim como tantos santos, fazermos a diferença no mundo, pois o mundo precisa de santos, de pessoas que não desistem desse ideal, pois como bem disse no querido São João Paulo II: “Santo é um pecador que nunca desiste”.
Fábio Junior
Consagrado na Comunidade Pantokrator

0 comentários:

Postar um comentário